sexta-feira, 4 de julho de 2014

Ser brisa

Ser brisa

(Anne Lieri)






Quisera ser leve brisa
Flutuar pelos caminhos
Verso solto, poetisa
Dos ventos aos burburinhos.


 Sentir o frio das manhãs
Envoltas que são da lua...
Madrugadas orvalhadas
Perfume de flores nuas.



Encher de azul a visão
Nesse céu de brigadeiro
As nuvens em mansidão
Num riso solto e brejeiro.




Quisera ser brisa, sim!
Tocar feito uma carícia
As ondas de um mar sem fim,
Sem ter pecado ou malícia.




Seria então pescador
Como brisa, disfarçado...
Pescaria o teu amor
Para sempre alforriado!



9 comentários:

✿ chica disse...

Que linda poesia e lindo desejo de ser um brisa assim! Gostei muito! bjs, tuuuuuuuuudo de bom,chica

Calu B. disse...

Tais desejos envoltos em tamanho lirismo agiganta-se, cria asas por cada verso.Voar nesta poesia é cobrir-se de encantamentos.

Pura beleza, Anne.
Bjos,
Calu

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Uma poesia tão leve como essa brisa que passa breve.
Bjs amiga Anne.
Carmen Lúcia

Bell disse...

Eu já quis ser uma brisa para cercar e acariciar....

bjokas =)

Anete disse...

Doçura, leveza e encanto...
Bela brisa, voando livremente, Anne!!

Beijos e Bom Fim de Semana...
Torçamos pelo Brasil!...........

Miguel disse...

COMUNICADO:
TENHO ESTADO DOENTE
04.07.2014

Há cerca de cinco dias fui atacado por uma forte gripe, que mostrou intenções de invadir zonas do meu corpo que não lhe diziam respeito, nomeadamente a zona pulmonar.
O médico que me tem assistido moveu-lhe guerra feroz, e da refrega saíram dois vencedores: o médico e eu.
Hoje já tive autorização para me levantar duas ou três horas, e mal pus o pé fora da cama, corri – em sentido figurado, que as forças ainda não dão para correr – “corri” para o computador para estar um bocadinho convosco.
Espero em breve estar são como um pêro…“Bravo de Esmolfe”– o mais doce do reino *perófico* (de pêro).
Sei que a palavra não existe, acabei de a inventar… mas é gira, não é? 

Miguel, o rei perófico

(AQUI APARECE A FOTO DO REI, QUE POD VER NO BLOG)
Beijos para as meninas e abraços para os meninos.
Até breve, até sempre.
P.S. O meu primo vai-me fazer o favor de levar este comunicado aos blogues amigos, para que não me esqueçam...
Miguel

Crocheteando...momentos! disse...

Belíssimo poema!
Eu gosto de sentir a brisa do mar...do vento...do sol...do aconchego da noite...e em cada brisa eu recebo uma mensagem...SEMPRE! Bj

Tunin disse...

A brisa é a suavidade da alma. Muito legal!
Abração.

Beatriz Bragança disse...

Querida Anne
E não é que a vontade da brisa era fazer uma declaração de amor?!
Parabéns.Poética e perfeita.
Bom domingo.
Um beijinho
Beatriz

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...