quinta-feira, 22 de maio de 2014

Nada sei

Nada sei

(Anne Lieri)



Não há em mim falsa modéstia
Apenas sei que nada sei...
Nada sei da vida, de gente desonesta,
Não entendo de tribunais e nem de leis.



Fui criada em redoma de vidro
Talvez mimada demais, com amor!
Tenho a alma aberta como um livro
Delicada como uma pequena flor.



Nada sei de caras disfarçadas,
Não me escondo em máscaras e maquiagem.
Vou com tudo de cara lavada
Sem armaduras e sem malandragem.



Não quero perder essa doce menina
Mas vejo que ás vezes preciso crescer
Não há como ser a tola cristalina
Tampar os meus olhos negando-me a ver!



Apesar de tudo não há amargura
É minha maneira, meu jeito de ser!
Posso enxergar tudo com esta candura
Mas bem mais atenta pra sobreviver!



11 comentários:

Antonio Reis disse...

Afinal não há amargura é apenas meu jeito de ser. Isto ficou lindo e profundo Anne.
Abençoada inspiração.

Meu carinhoso abraço
Beijo de paz amiga.

✿ chica disse...

Linda poesia que mostra tua candura e inocência e atenção é mesmo necessária pra não entrar em frias, com pessoas que não são dignas de confiança, bem como vi agorinha no MENINA VOADORA!!!
Beijos,tudo de bom ! Segue em frente e vamos que vamos!!Tu irás pra frente e seguirás, eles, pelo jeito....já escolheram o caminho!!

beijos,chica

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

E esse é um lindo jeito de ser amiga Anne,com muito carisma e ternura em cada verso.
bjs
Carmen Lúcia

Crocheteando...momentos! disse...

Por vezes também não gostaria de nada saber!
Gostei!!! BJ

Anete disse...

Lindo, Anne, e uma mensagem "classuda", com elegância e candura...

O meu abraço e carinho...

Bell disse...

Na vida querida Anne a gente não pode perder a nossa doçura de menina, e muito menos nossa inocência e sonhos. A vida as vezes matam eles, mas não podemos nunca perdê-los.
Eu fui muito mimada e confesso que foi bom demais rs...

bjokas =)

vitalina de assis disse...

Oi Anne.

Quando compreendemos que não possuímos todas as respostas, podemos trilhar livremente em busca da sabedoria.

Bjs.

Clau disse...

Oi Anne :)
Uma poesia de desabafo...
versos bem colocados e sinceros.
Gostei demais.
Bjs!

LUCONI MARCIA MARIA disse...

Fui criada assim também, não sei visualizar a maldade, parto do princípio que todos são bons e sigo quebrando a cara, mas minha consciência está em paz, beijos Luconi

Tunin disse...

Às vezes, Anne, eu prefiro não saber, assim não sofro.Confio muito no outro.mas estou ficando mais esperto.
A tua mensagem, na elegância de sempre, foi um "tapa na cara".
Abração.

Beatriz Bragança disse...

Querida Anne
Candura e atenção! Aprendi a lição!
Obrigada.
Parabéns pelo poema que nos ensina a bem viver!
Um beijinho
Beatriz

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...