terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Aprisionado


Aprisionado

(Anne Lieri)




Distante é o que acontece aqui...
Quando não me olhas mais nos olhos,
Quando partes sem dizer adeus,
Ou se nem o meu beijo queres,
E foges dos versos meus.

Distante é o teu pensamento,
Quando conto algo de novo,
Ou se repito o que não sabes,
Reinvento aquilo que sabes...

Distantes são nossos corpos,
Nossas almas, nossos gostos,
Nossos toques sem desejo,
A paixão que já não vejo!

Distantes estão nossos passos,
Dança num outro compasso,
Caminhos desconhecidos,
Os rostos envelhecidos.

Seguimos assim, distantes...
Um do outro ignorado,
Nosso amor é inconstante,
Teme ser aprisionado!



Esta é a minha participação na 3ª edição poemas/poesias


Tema: distância


Clique aqui para participar!



Sem palavras 
( Asas fechadas)



8 comentários:

Arlete disse...

Que lindo Anne !!Amei este poema e o outro também Fique em paz, meu coração.Beijinhos

Renata Diniz disse...

Anne! Ser livre para amar é o bacana. Mas, muitos temem ousar. Beijo!

✿ chica disse...

Muito lindo,Anne!!bela participação! beijos praianos,chica

Severa Cabral(escritora) disse...

BOM DIA AMADA !!!
SUA PARTICIPAÇÃO TE FAZ UM SER ÚNICO,ESCREVES COM ALMA E CORAÇÃO ...LINDO !!!!
BJSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

Rosa Branca disse...

Belissima participação, parabéns.

pensandoemfamilia disse...

Muito expressivo e realista este seu poema. Não há amor sem toques, seja da alma, do corpo, dos olhos e das palavras.
Vou compartilhar com amigos via e-mail com seuss créditos.

Bjs,

Paulo Francisco disse...

Como sempre belos textos.

Beijos

Lourdinha Vilela disse...

perfeito e intenso. O amor tem que ter laço, toque, compasso.
Muito Lido Anne.
Estou adorando a sua versão romantica. Poesias que presenteiam a nossa sensibilidade

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...