terça-feira, 30 de outubro de 2012

Desamparo


DESAMPARO
(Anne Lieri)








Quando sinto um desamparo,

Um vazio, um nada na alma...

É aí que me solto ao vento

E me entrego sem medo

Asas abertas a voar!


13 comentários:

ELAINE disse...

Anne querida! Que lindos esses versos! Livres, soltos ao vento... Meio tristes... Obrigada pelo carinho! Um abençoado e feliz início de semana!
Abraço fraterno e carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

✿ chica disse...

Sem dúvida, uma ótima tática e remédio.VOAR!!! LINDO!! beijos,chica

D. Garcia disse...

Esse 'desamparo' não o é efetivamente, mas o aviso de que nossa alma está prestes a lançar voo em busca de corações alados e soltos que planam pelo céu dos sentimentos mais enternecidos. Lindos versos, estrofe perfeita! Nada mais se vê necessário para dizer o que você pretendeu. Adorei tuas palavras. Abraços. Daniel.

Ana Miranda disse...

As pessoas inteligentes estão sempre assim: Com as asas abertas e voam para bem longe das adversidades da vida...

Belíssimo poema, Anne!!!

Bom dia!!!

Vida & Plenitude disse...

Uau, lançar-se ao vento sem medo e voar... Falou-me MUITO, Anne!

Muito bonito e com uma mensagem esperançosa!

Beijos

Élys disse...

Creio ser uma ótima opção... Voar!... voar!... Voar...
Beijos.
Élys

Calu disse...

Uma ousadia.
Remédio encorpado
que toma de susto
qualquer desamparo.

Ouvi o bom conselho em prosa poética aqui dado.Abro as asas sem medo, Anne.
Tudo lindo por aqui.
Bjos,
Calu

Everson Russo disse...

E que seja um voo de redenção...beijos e uma bela noite pra ti amiga.

Martha Marquez disse...

Passei por aqui para lhe dizer que seu blog é emocionante! Maravilhoso e de um bom gosto incrível. Me tornei sua seguidora, viu?
Parabéns!
Beijo salpicado de estrelas na sua alma e no seu coração,
Martha
Faça-me uma visitinha que ficarei honrada:
http://ternuraantiga.blogspot.com.br

Sônia Silvino (Crazy about Blogs) disse...

Essa menina voadora sabe tudo!
Beijos!

Jeanne Geyer disse...

fragilizada e leve, como uma pluma, é assim que senti teu inteligente poema. a rigidez mental e comportamental não permite vôos...
Beijos

Renata Diniz disse...

Anne! Adoro sentir o vento, a brisa e aqui o vento é sempre favorável por causa da poesia. Beijos!

Amara Mourige disse...

Anne,queria ser um passarinho,poder voar, ter a liberdade que eles tem, só por um momento!As vezes eu sinto um desamparo,bjs
Amara


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...