terça-feira, 24 de abril de 2012

Meu pai e o alzheimer






MEU PAI E O ALZHEIMER
( Anne Lieri)




Ele entrava comigo no mar
E me soltava para eu perder o medo.
Adorava historinhas inventar
Com minhas irmãs brincar em sossego.



Hoje seus cabelos branquinhos,
Os oitenta anos de vida,
Anda meio esquecidinho,
Preocupando-nos no dia a dia.


Li que o Alzheimer é uma doença
De pessoas individualistas!
Que grande engano essa crença,
Meu pai sempre foi grande altruísta!



Hoje o levo a passear
E ele me confessa, entristecido
Que das coisas não consegue se lembrar
E isso o deixa muito aborrecido!




Mesmo assim ele não se esqueceu
Dos amigos que tem e família
O seu coração não adoeceu
E a sua luz ainda brilha!



Como eu queria voltar no tempo
E vê-lo jovem novamente!
Ao menos poder lhe dar algum alento
Porque ele não lembra, mas sente!


18 comentários:

ELAINE disse...

Anne querida! Achei tão linda tua poesia! Quando li o último verso, me deu vontade de chorar... Parabéns por conseguires te expressar poeticamnete de forma tão suave e doce.... Excelente terça-feira! Abraço carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Arnoldo Pimentel disse...

Um poema real que fala de uma fase da vida que chega para muitos de nós.Beijos

✿ chica disse...

Emocionada aqui te digo que falaste tão bem sobre isso. Que pena,não? Mas ainda bem que ele está disposto e passeia contigo... Beijos, aproveita bem! chica

Everson Russo disse...

Comovente a poesia, é a história de vida, e infelizmente existe uma cobrança do tempo pra isso...todos seguimos o mesmo caminho...beijos de lindo dia pra ti querida.

Fabio Baptista disse...

Nenhuma doença é boa, é claro... mas essa aí acho que é uma das piores.

Esquecer o rosto das pessoas, as vivências... terrível.

Maria Teresa Fheliz Benedito disse...

Que declaração de amor mais linda!
A emoção tocou meu coração.
Sei o que você está falando, minha sogra está assim também, é muito doído e triste, vê-los sem lembra as coisas, ela na maioria das vezes nem sabem que é.
Fica com Deus e força querida...beijinhos

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Anne. Você falou de uma forma linda e comovente sobre um assunto sério demais, principalmente porque você está ligada diretamente, e isso não é fácil.
Contudo, seu pai sente o carinho, a afeição da família e amigos, e isso ele sempre precisará sentir ao máximo, e sei que vocês que o amam, farão com que isso jamais seja esquecido.
Força para vocês, e um grande beijo no coração!

Luciana Santa Rita disse...

Oi Anne,

Tudo bem? Fiquei encantada com a sua descrição. Acredito que a mente é gloriosa e nunca vai permitir que haja o esquecimento de uma filha querida. Talvez em alguns momentos ocorra uma distração, mas depois virá intensamente.

Beijos.

Lu

Tunin disse...

Nada mais gratificante que este amor que tu devotas a ele neste período de tanta dependência de sua vida. O poema é tão penetrante que cheira sabor de delicadeza, suavidade sem rito de pena.Fez-nos chorar.
Abração, querida!

Valéria disse...

Oi Anne!
Você bem descreveu em versos o transtorno diário de quem padece deste mal. Já fiz dois posts em que falo sobre o envelhecer e o se fechar para o mundo inspirado em minha sogra que adoeceu o coração de tristeza e vive aborrecida pela falta de memória. Não é fácil e é muito triste. Entendo bem as entrelinhas dos versos.
Beijinhos e tudo de bom!

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Um poema comovente que adorei, até pela sensibilidade e por retratar um tema que é extremamente atual, cada vez mais pessoas sofrem de alzheimer! Bjs

SONINHA disse...

Boa Tarde,Anne!
Triste mas, lindo também!!
Você poder se expressar poeticamente.
Ah!Quase me levaste ao choro,amada!!
De nada adianta termos saudades de dias passados. O melhor dia é o de hoje!
Aos oitenta anos, ele poder estar com vocês, embora com problema de memória,mas "SENTINDO"!! como você mesmo disse.
Hoje eu não poderia mais expressar nada!Pois não tenho mais os meus!!!
Bjs no coração!!!!Soninha.

Elaine Cristina disse...

Que poesia emocionante!!
Só quem convive com um ente querido com esta doença sabe dimensionar a dor.

Uma feliz semana para ti!

"Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, desfrutar desse amor absolutamente sem fraudes, nunca será perda de tempo. O essencial faz a vida valer a pena."[Rubem Alves]

PEPI disse...

Que lindo, Anne
Como gostaria de abraçar agora, pessoalmente, a você e ao seu Papai!!
Um beijinho carinhoso da amiga que te admira cada vez mais
Verena

Lucia Costa Siqueira disse...

Oi
Querida
Como te entendo
Minha Mãe sofreu deste mal
Visto assim com poesia,fica mais leve.
Parabéns achei linda!!!!!!!!!!
Bjosss

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
Li pensando em meu bom papai que também teve a doença e nada tinha de individualista...
Estamos com os nossos pais amados fugindo da regra...
Viveu até os 85 e de mim nunca se esqueceu...
Também quisera tê-lo comigo... senti que ele sentia tudo mesmo se esquecendo de tantas outras coisas...
Bjm de paz

♫*Isa Mar disse...

Oi amiga, comovente e lindo.
Eu escrevi esses tempos um poema sobre isso, pretendo repostá-lo no "Poetando" qualquer dia, deixo ele aqui pra ti com carinho, beijos

PASSADO SEM NOME
E quando no vácuo
do esquecimento,
a alma descansa...
se livra de toda lembrança
que um dia a fez sofrer.
Nas brumas do tempo
se perdem e esvaziam
as dores vividas outrora.
Não mais pesar...
Não mais culpa...
Apenas o momento
vivido a cada instante
como se infinito fosse.
Assim por um tempo,
sublime e benfazejo
o espírito se recupera
e aure novas forças
para escrever de novo
uma nova história!
Isa Mar

SONINHA disse...

Minha linda!
Nem precisaria dizer que estou chorando ao ler, amiga! Sabes o porquê. A velhice é muito triste se não for com saúde. Mas curte teu velhinho, dá carinho sempre que puderes, pois como disseste: ele sente! E ficará feliz por dentro!
Beijocas!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...