terça-feira, 3 de abril de 2012

Aos trancos e barrancos






Aos trancos e barrancos
( Anne Lieri)




Ando sempre desligada
Isso é fato, não é fita!
Levo a vida desplugada,
Nisso ninguém acredita!



Pelas trilhas quebradeiras
Vou aos trancos e barrancos,
Caio pelas ribanceiras
Mas depressa me levanto!




Isso aumenta a esperteza
Questão de sobrevivência!
Ver tudo com mais clareza
E seguir com persistência!



Se o mundo gira depressa
Devemos nos segurar!
Ter atenção sem ter pressa
Assim podemos chegar!



Proteção nunca é demais
A quem vive pela lua!
Desse jeito não se vai
Esborrachar pela rua!

15 comentários:

Iasmin Cruz disse...

Que agente saiba viver mesmo caindo e levantando. Que mesmo a dificuldade do caminho, saibamos prosseguir. Vomo voce mesma disse, a trancos e barrancos.

Saudade de tuas palavras, e como sempre, elas continuam um encanto.

http://iasmincruz.blogspot.com.br/

ELAINE disse...

Sábios conselhos contidos em tuas palavras! Adorei a Mary Poppins(?) da ilustração... Obrigada pelas palavras gentis e carinhosas! Abração carinhoso e apertado!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Ivana disse...

Anne
Também sou desligada, mas aos trancos e barrancos sempre chegamos lá, rsss
Bjão

✿ chica disse...

rss...Muito legal e linda tua poesia assumindo ser desligada...

Me vi naquela imagem,srsr beijos,chica

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Tenho andado super ocupada mas, sempre que posso dou aqui um pulinho e não me desiludo, adoro como escreve! Bjs

Everson Russo disse...

Devemos sim nos agarrar e nos segurar nesse louco mundo que gira e nos leva junto...beijos de bom dia pra ti querida.

edumanes disse...

Corre a água pelo barranco
De dia, noite e de madrugada
Quando chove la a encontro
No inverno, depois de uma chuvada.

Os troncos das árvores são
Barrancos, ribeiras e regatos
As águas dos rios para os mares vão
Como os ratos fogem dos gatos?

Assim escrevi em rima
Para falar da natureza
Todo aquele que a não estima
Continua destruindo a beleza!

Desejos de uma boa tarde pra você,
Um abraço
Eduardo.

Vitor Chuva disse...

Olá, Anne!

Com os trambolhões da vida também se aprende,mas não me parece que a Anne possa cair assim tanto.Com jeito para cair, só mesmo para a poesia...

E essa Mary Poppins, acho que engordou muito desde a última vez em que a vi - há uns bons anos...

E se até lá aqui não voltar, já cá deixo os votos de Feliz Páscoa, com tudo de bom para si.

Beijinhos.
Vitor

♫*Isa Mar disse...

Muito legal! Eu tb tenho disso, tem dias que estou completamente desplugada rsss
Beijos e linda tarde!

SONINHA disse...

Olá,Anne!!
Você é uma escritora nota dez!!!maravilhosa!!
Amo ler suas poesias!!
Ótimo dia pra ti!!
Beijos no core!!Soninha.

Valéria disse...

Oi Anne!
rssss Adorei o poema!
Vez por outra me pego assim meio desligada, aos trancos e barrancos, mas atenta a vida, o que importa mesmo, não?
Beijinhos e uma Páscoa abençoada junto aos seus familiares!

Vera Lúcia disse...

Olá Anne,

Muito legal o seu poema. Adorei!
Bóra lá, ainda que aos trancos e barrancos. O importante ao cair é levantar com rapidez e prosseguir
com coragem e persistência.

FELIZ PÁSCOA A VOCÊ E A TODOS OS SEUS FAMILIARES!

Beijos.

Calu disse...

Anne menina,
Com carinho, acrescento:
muita calma nessas horas
olho vivo e paciência,
cada passo cauteloso
valerá a experiência.

Trancos e trovas são bons remédios contra os barrancos.
Bjkas,
Calu

Fabio Baptista disse...

Olá Anne, gostei da poesia.

A pressa é inimiga e o acaso vai nos proteger :D

SONINHA disse...

Ah, Anne! Que maravilha é te ler, amiga!!!
Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...