quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Passeio no cemitério





PASSEIO NO CEMITÉRIO
( Anne Lieri)


Era uma tarde fria de outono e Mariana saiu de casa sem rumo.
Estava mais uma vez, deprimida.
O lugar que gostava de passear nesses momentos era no mínimo, extravagante: o cemitério!
Sentia muita paz naquele silencio em meio aos túmulos!
Só o som do vento, pássaros cantando...Afinal, por que temer a morte?
Mariana até desejava a morte!
Tira os sapatos e senta-se próxima a um dos túmulos, num banco.
De repente ela vê um rapaz se aproximando.
Ele era bonito. Alto, cabelos e olhos castanhos, bem esportivo e com uma máquina fotográfica no pescoço.
Mariana não se surpreende quando ele se aproxima e diz:
― Bom dia! Posso tirar uma foto sua?
― Foto minha? Aqui ? Pra que?
― Desculpe, nem me apresentei! Meu nome é Alex e sou fotógrafo da Folha da Manhã. Estou fazendo uma matéria sobre cemitérios e seria muito legal ter sua foto, ilustrando o texto...
Mariana também se apresenta e simpatiza com o rapaz imediatamente, concordando em tirar a foto.
Alex clica  um retrato da moça ali, sentada no banco.
― O que uma moça bonita como você faz aqui no cemitério?
Ela sorri pela cantada tão aparente e responde:
― Gosto de andar em cemitérios.Especialmente quando não me sinto muito viva...rss...saio renovada porque fico refletindo sobre tudo...
Alex sorriu e comentou:
― Você é meio maluquinha!...rss...Mas é muito bonita! Já pensou em ser modelo?
― Não levo jeito pra essas coisas...
― Como não? Ficou linda sua foto! Você poderia subir nesse túmulo pra eu tirar uma foto...diferente?
Mariana estranhou num primeiro momento, mas ele era tão simpático que concordou.
Subiu no túmulo, um pouco constrangida mas deixou-se fotografar.
Alex agradeceu e enquanto Mariana descia e se virava para cumprimentar o novo amigo, ele simplesmente desapareceu!
Ela olhou ao seu redor, procurou nos túmulos próximos e nada!
Alex sumira quase diante de seus olhos!
Mariana olha a fotografia do túmulo onde subira: era o próprio Alex!
Falecera há um ano com apenas vinte e oito anos.
A moça sentiu um calafrio correr pela sua espinha.
Depressa, resolveu ir embora e nunca mais fez esses passeios esquisitos.
Não entendeu quando na Folha da Manhã do dia seguinte, sua foto estava estampada no jornal, em cima do túmulo de Alex...




Essa é a minha participação na 21ª edição imagem do Projeto Suas Palavras.
Clique no link para participar:

               

13 comentários:

Catia Bosso disse...

Afff!!! Me senti a própria Mariana fotografando e sentindo o calafrio da duvida... que conto legal, bem original...

Parabéns!

Bela participação!

bjs meus

✿ chica disse...

Calafrio chegou até em mim...CREDO!!! Muito lindo e arrasaste!!! Valeu demais! Tua criatividade tá genial! beijos,chica

ELIZABETH DE LIMA VENÂNCIO disse...

isto que dá andar em cemitério.

parabéns

Um abraço

Beth

Pepi disse...

Noossa,
Fiquei assustada, Anne
O seu texto ficou ótimo
Parabéns!
Um beijinho de
Verena e Bichinhos

JR disse...

Anne,sempre tive paixão por cemitério ,era meu refugio em momentos de recolhimento eu sentia um grande acolhimento nestes locais sagrados.
Isto desde pequena eu já fugia de casa para dormir lá e adorava ir caminhar no cemitério ,ler e anotar os dados de cada tumulo ,observando as fotos devagar ,não me pergunte porque e nem porque , só sei que gostava e muito.
Nos enterros de conhecidos ou familiares eu me perdia do evento e só saía do cemitério quando a noite cobria o local ,isto quando não ficava até ser corrida pelo cuidador do local.
Agora vai fazer um ano que não consigo nem olhar para um ,desde a morte da minha amada amiga Denesia eu simplesmente passei a fugir dstes locais não mais me imagino entrando num.
Bem ,como dizem cada louco com suas manias e a minha era esta ,agora vou aguardar para a minha proxima escolha rsrrs
Abraços carinhosos

" ESSÊNCIA ESTELAR MAYA " disse...

Anne querida,

Puxa vida, me envolvi tanto com a história que foi uma pena quando chegou o final.
Muito interessante, e a forma que você descreveu foi perfeita, parece que eu estava vendo toda a cena na minha frente.

Parabéns!!!
Um grande beijo em seu coração!!!

DoraDuarte disse...

Uiiiiiiiiii!!!! Interessante esta história! Bjos Anne.

Valéria disse...

Oi Anne!
Que texto surpreendente!
Muito criativo e misterioso.rsss
Beijos!

LUCONI disse...

Anne que delicia poder estar aqui, finalmente acabei a mudança, como sinto saudades de visitar a casa dos amigos,principalmente as suas, meu anjo no dia que a mudança chegava adivinha? chegou o seu caçulinha, nossa parei tudo, disse dá licença que o filhinho da Anne chegou, procurei um cantinho, sentei em cima de uma caixa e me coloquei a folheá-lo, que lindo menina, amei o tipo do papel e a cor, perfeito, as imagens também ficaram ótimas, bem o conteúdo eu já sabia que era MIL Mil vezes maravilhoso, parabéns e muito obrigada do fundo da minha alma, posso colocar o prefácio em meu blog,aproveitando e fazendo mais uma chamadinha? Depois já coloco na livraria infantil, não quero fazer sem a sua permissão, beijos e muito obrigada te adoro, Luconi

NINA* disse...

Nossa!!! O seu é que foi de arrepiar...kkkk Me imaginei dentro do cemitério.

=S Medo!!! =D

beijokas!

Sônia Silvino disse...

Uau!!! Deu calafrios!!!! Tô brincando!!!
Texto muito criativo, pois deu uma curiosidade em saber o final.
Beijos meus!

Irene Moreira disse...

Anne

Muito boa mesmo a sua história ! Estou rindo até agora!! Maravilhosa inspiração!! Você é demais!

Beijos

PS>: Amei o livre da Menina Voadora na escola e mais um pouquinho vai rolar a resenha. Obrigado!

Mais beijos e uma linda semana

Luzia Medeiros disse...

Uau! Fiquei arrepiada, o conto ficou perfeito, parabéns.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...