terça-feira, 16 de agosto de 2011

Pressentimento





PRESSENTIMENTO
( Anne Lieri)


Stela chegara ao Japão há dois meses e já estava adaptada ao país.
Todos os dias pegava o metrô pontualmente pela manhã para ir ao trabalho numa agência de telemarketing.
Aquele onze de março, porém, estava diferente.
Acordou um pouco agitada, ansiosa e sentindo uma angústia sem motivo.
Tóquio era uma bela cidade e já havia feito amigos por lá, mas gostaria de poder estar com seus pais naquele dia em especial.
Olhando pela janela do metrô, Stela pensava no Brasil com o olhar vago.
―”Por que essa tremenda tristeza?” ― se perguntava.
Normalmente era uma garota bem humorada e de alto astral,mas hoje levantou com uma dor no peito muito estranha.
Era melancolia.
Algo inexplicável como um pressentimento de que alguma coisa ruim iria acontecer.
Estava tão absorta em seus pensamentos que nem notou a moça ao  seu lado, a mesma idade, o mesmo olhar perdido em pensamentos...
Era Priscila, uma jovem nissei que também estava no Japão há poucos meses.
Só quando o trem parou repentinamente e as luzes se apagaram é que uma viu a outra.
Por uma fração de segundos seus olhares se cruzaram e aflitos, perguntavam: ― “O que está acontecendo?”
Instintivamente, uma segurou a mão da outra, enquanto um pequeno tremor se fez sentir e todos gritaram.
As portas se abriram automaticamente.
Stela olhou para Priscila e, ainda assustadas sem dizer nada, as duas saíram juntas do trem de mãos dadas.
Com outros passageiros alarmados, saíram da estação e conseguiram chegar a rua, onde uma multidão estava parada,descendo de prédios, surpresas.Os carros buzinavam,as pessoas gritavam: um caos!
― Terremoto...― disse finalmente Stela olhando sua nova amiga que sorriu e respondeu:
― Parece que já passou!...
Eram muito comuns os terremotos no Japão mas dessa vez o tremor assustou os moradores.
Stela soltou a mão de Priscila e disse:
― Obrigada! Fiquei com medo...parece que estava pressentindo algo!...
Priscila a fitou com estranheza e comentou:
― Você também? Eu acordei com uma melancolia hoje...sem motivo...
― Que coincidência! Tive a mesma sensação!
As duas começaram a conversar e descobriram que eram da mesma cidade no Brasil.
Apesar do momento difícil em que se conheceram, nasceu ali uma sincera amizade!
Depois ficariam sabendo das graves proporções dessa tragédia...



Essa é a minha participação na 14ª edição visual do Projeto Creativite. Clique no link se quiser participar:


3 comentários:

✿ chica disse...

Anne que lindas coincidências AQUI... esses PRESSENTIMENTOS ACONTECEM MESMO E QUE BOM QUE AS DUAS FICARAM AMIGAS, DEPOIS DAQUELE ENCONTRO. lindo! BEIJOS,TUDO DE BOM,CHICA

Bixudipé disse...

"Que conto fantástico!" Adorei!
Muito leve e gostoso para ler; não deixa outra opção, se não, ir até o fim. E o desfecho? Quanta subjetividade podemos tirar (?).
Menina, aceite meu parabéns. muito bom, mesmo, viu?

Abração.

Mari disse...

Anne, isso acontece no nosso dia a dia. Andamos tão absortos em nossos pensamentos que nem reparamos em quem está ao nosso lado. Que pode sim, ter sonhos e medos semelhantes aos nossos. É o corre corre, que nos torna robôs. Lindo texto querida! Abração

PS: Terminei o livro "Tem Alguém Aí?". Adorei Anne. Tão emocionante, real, cotidiano, divertido. Chorei taaaanto,rs. Depois me conta o que vc achou, viu?Bjs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...