quinta-feira, 7 de abril de 2011

Culpa de tudo




CULPA DE TUDO
( Anne Lieri)


Quando criança ia a missa toda semana com meu pai.
Sou a mais velha de três irmãs.
Minha mãe não ia sempre.Ficava em casa com as menores.
Ela sempre foi eclética em matéria de religião e talvez porisso,eu transite com tranqüilidade tanto num centro de umbanda quanto numa igreja evangélica.
Sou uma pessoa que acredita em Jesus e seus ensinamentos acima de qualquer coisa.
Como dizia,meu pai queria companhia para a missa e me levava.
Subíamos a pé pela Alameda Santo Amaro até a igreja matriz do Largo Treze em São Paulo.
Na hora do “Credo” era costume bater no peito três vezes e dizer:
“Por minha culpa,minha máxima culpa”.
Eu me sentia tão culpada!
Não me pergunte porque,mas me sentia a pessoa mais pecadora do mundo no auge dos meus seis/sete anos!
Culpa zero não existe para mim!
Vim ao mundo igual “uma menina má” como na música cantada por Cássia Eller.
Me culpo por ter nascido, por ser uma filha ruim,péssima amiga,mãe,mulher,professora,tudo!
Se fico doente, me culpo.
Se saio a passear, também.
Mas eu não convivo com essa culpa.
Aprendi que é muita pretensão eu me culpar pelos pecados do mundo!
Então,quando a danada da culpa vem,faço como naquela propaganda de TV:” Sai,neura!”
Quando é preciso pego no colo a menina culpada e a acalento,depois a mando embora sem pecado e sem juízo!
Isso eu aprendi com a vida.
Procuro me perdoar,olhar a vida com gratidão e otimismo,percebendo que somos seres falíveis e estamos aqui para aprender.
Se fossemos santos,não precisaríamos mais reencarnar.
Ficaríamos no céu tocando harpas com os anjos.
Por este motivo,recito a “Canção dos Tamoios” cada vez que fraquejo e toco a vida...
Apesar desses momentos,sou uma pessoa feliz!




Esse texto faz parte da blogagem coletiva do blog “Falando de vida e da vida” e o tema é “Culpa zero”.
Clique no link e participe:

18 comentários:

Vivian disse...

Bom dia,Anne!!

Belo texto!! Mas é muita culpa numa menina só...o pior é que quando era criança me sentia assim também...
Ainda bem que as coisas mudam!!
Beijos pra ti querida!!

Pri disse...

O bom foi ver que a vida foi te ensinando a lidar com a culpa. Talvez culpa zero não exista 100% do tempo. Mas em alguns momentos.

=)

Bjos



http://www.cantinhodapiu.com/
@pri_sobrinho

✿ chica disse...

Que lindo isso!

E agora me fizeste lembrar uma coisa: Não era católica, era luterana(os alemães em geral eram e minha mãe o era).

Depois, estudei em colégio de freiras e me encantou trabalhar com crianças.

Era tão entusiasta que virei católica, nem sei como. Mas nunca aceitei aquela história de pecados e culpas.

Fui catequista preparei pra primeira comunhão e naquela hora, passava batido pelo tema.

Não acreditava que nós tivéssemos que nos culpar e sempre pensei que não tinha pecado grave pra confessar e ainda se os tivesse, não seria para um padre,humano, cheio de erros como eu...

Enfim, sempre fui meio maluca e até hoje, se entro na igreja e sinto vontade de tomar a comunhão, faço, sem a confissão.

Cadê o pecado? Não tenho culpa!!rsrs

beijos,fiz jornal!chica

Du disse...

Impossível dizer que não existem ou não existirão mais culpas, porque isto é inerente à vontade de nós, seres humanos. Mas se a gente puder refletir e principalmente ponderar nossas atitudes e agir sempre de forma correta com as pessoas que nos cercam, com certeza as culpas diminuirão e muito na nossa mente. As culpas muitas vezes estão ali e somente ali, fixadas na mente, sem fundamento algum para existirem de fato.

Acho que vale a reflexão.

Bela postagem, parabéns!

angela vasconcelos disse...

Com certeza fomos marcadas pela religião que eramos obrigadas a frequentar,eu dormia ou fugia,sempre fui peralta!!

soniaconslt disse...

Uma menina que voa com seus textos e nos faz voar tbm....e além de tudo nos encinou a ter sempre em mãos um óculos rosa, não pode ter essa culpa toda!
como você mesmo diz: chô neura!!!!
Bjus amada

shan-Tinha disse...

mesmo que te diga que não tens pecado, às vezes também me sinto assim, fomos criados (acho que você também ) com muita rigidez pelos pais pela igreja, então nos culpamos até pela felicidade, temos que mudar o pensamento viu?
"não existe pecado do lado de baixo do equador..." hehehe! bj menina linda!

Miriam Rose disse...

Amei essa narrativa! Tente se livrar dela! É difícil mas podemos amenizar a situação! Beijos
Estou seguindo-a!

Amapola disse...

Boa tarde, querida amiga Anne.

Eu tinha feito um comentário tão grande sobre esse texto que adorei e me identifiquei, mas na hora de encerrar, veio aquele aviso chato de que não foi possível concluir.

Tentei resgatá-lo de todo jeito, mas não consegui.

Essa net está tão lenta, que eles deveriam sentir muita culpa, de cobrarem tão caro por um serviço sem qualidade.

Um grande abraço.

orvalho do ceu disse...

Olá, querida Anne Lieri
Sabe, vc abordou pontos importantes e acabou por proferir uma verdade: culpa zero não existe...
Mas,na verdade, tenho tentado me trabalhar a ponto de viver mais a consciência de culpa do que o remorso infundado... que não me leva a lado algum... fico como parasita... estagnada... sem crescimento algum...
Bjs de paz e culpa zero.

ValeriaC disse...

Adorei sua participação..culpa... péssimo sentimento a se cultivar...acho que tudo na vida são lições...se achamos que erramos em algo, vamos nos desculpar, vamos mudar nossas atitudes, mas sem nos culpar, afinal somos humanos, e como diz a frase "errar é humano", e vivemos em constante aprendizagem e vou te confessar, detesto esta frase da igreja.
Beijinhos...
Valéria

Irene Moreira disse...

Anne

Adorei seu post e a vida é isso. Um reflexo do que nossos pais, de seus hábitos e costumes e culpas não devem ser assumidas, pois não existem.

Culpas as mulheres sempre vão conviver, mas com o tempo estamos sempre revendo-as e fazendo novas escolhas, mas o importante é que amadurecemos, crescemos como seres humanos e aprendemos a olhar um pouco mais para nós mesmas.

Muito bom compartilhar essa Blogagem Coletiva.

Beijos

Sônia Silvino disse...

Amiga!
É culpa demais para uma menininha!
Meus pais me mandavam ir à missa. Mas não íam comigo. Pode?
Beijos meus, amada!

JGCosta disse...

Eu entendo que essa culpa que muitas pessoas sentem durante as suas vidas é devida à algum tipo de pressão psicológica muito intensa!

Nas mulheres, que desde sempre e jovens, são criadas para sempre servir e somente isso, essa culpa é muito mais frequente, pois a todo momento se cobram, achando que deixaram de ser totalmente úteis ou completamente responsáveis e, se houver a mínima falha em qualquer de suas tarefas, é o fim do mundo e tome depressão!

O que eu acho lá no fundo é que hoje em dia a mulher multiplicou seus afazeres, mas continua sendo mãe e dona de casa, assim fica quase impossível conciliar uma vida profissional. É bem por isso que sempre as tenho como os seres mais fortes desse nosso Universo, pois O Criador Lhes Deu infinitas qualidades para que pudesse, assim como demonstra a imagem no início dessa postagem, carregar o mundo nas costas!

Grande abraço amiga e PAZ!

Neli Alves disse...

Lindo post. Amei. Bjks e parabéns.
Amo pássaros e gostaria de poder voar! Vôo quando faço meus mimos artesanais! rsrs

Lu Souza Brito disse...

Ane,

Sempre participei das missas católicas quando criança também. Minha mae nem sempre. Eu que gostava (dos canticos).
Mas sabe que eu, assim como a Chica disse acima, nunca aceitei esse negocio de culpa, de termos o pecado de EVA, sei lá mais o que.
Sempre achei uma grande bobagem.
Mesmo assim, carreguei várias culpas a minha vida toda. Hoje estou aprendendo a despejá-las pelo caminho e começo a erguer as costas novamente.
Um abraço

Bel Rech disse...

Que linda postagem!!!Como trazemos coisas do nossa passado...Paz e bem

Tays Rocha disse...

Emocionante tua narrativa, me identifiquei em vários trechos aí. Mas tenho feito assim como você, me policio, não permito mais que ela me sufoque, tenho aprendido a reconhecer meus limites e saber que sou humana. Isso tem feito toda a diferença e eu tenho me sentido mais leve. Beijos ♥

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...